Página inicial | Favoritos | Contacto | Twitter (não ligo lá muito a isto!)| Facebook (não ligo pevas a isto!)| Myspace (surpresa, surpresa! Também não ligo pevas a isto!)

terça-feira, 8 de abril de 2008

Acordos

Discutiu-se ontem, dia 7 de Abril, na Assembleia da República, o novo acordo ortográfico. Como sempre, há vozes concordantes e discordantes. Há cerca de um mês, Cavaco Silva, aquando da sua viagem ao Brasil a propósito do bicentenário da chegada da corte a terras canarinhas, achou importante o avanço do acordo de 1990. O que muda na língua?

*Em Portugal o c e o p serão eliminados das palavras em que não são pronunciados, como acção, objecto, adopção;
*Pêlo (substantivo), pára (verbo parar) e pôr (colocar) perdem o acento, não se distinguindo de pelo, para e por;
*O hífen deixa de ser usando, excepto quando o prefixo termina em r, como hiper-, inter- e super-. Passa a escrever-se antirreligioso, infrassom, extraescolar, aeroespacial e autoestrada;
*Sobre o h há versões contraditórias. Os responsáveis brasileiros dizem que desaparecerá de palavras como húmido — passando a escrever-se úmido —, mas os especialistas D´Silvas Filho (da Sociedade da Língua Portuguesa) e Malaca Casteleiro afirmam que o texto do Acordo diz o contrário e que, portanto, hospital, húmido e hélice continuarão a grafar-se da mesma maneira.

(retirado daqui)

Sobre isto, eis o que tenho a dizer: Oi?

Um comentário:

Mãos de Veludo disse...

e diz que quase vai passar a ser escrito kwase... q boniteza, hein?