Página inicial | Favoritos | Contacto | Twitter (não ligo lá muito a isto!)| Facebook (não ligo pevas a isto!)| Myspace (surpresa, surpresa! Também não ligo pevas a isto!)

quarta-feira, 31 de março de 2010

"You ain't nothin´ but a hound dog"

Hoje acordei e senti-me um Labrador: todo babado.

Silêncio recorrente

Esta é uma música a que recorro muitas vezes. Deveria ser obrigatória nos concertos de David Fonseca. Um palco, uma viola e uma voz, apenas isso. Mais nada. Chama-se "Eu Não Sei Dizer" e é a faixa 11 do álbum Silence Becomes It, o primeiro da banda leiriense Silence 4. Porque eu não sei...



O silêncio deixa-me ileso, e que importância tem? Se assim tu vês em mim alguém melhor que alguém. Sei que minto pois o que sinto não é diferente de ti. Não cedo. Este segredo é frágil e é meu. Eu não sei tanto sobre tanta coisa que às vezes tenho medo de dizer aquelas coisas que fazem chorar.
Quem te disse coisas tristes não era igual a mim. Sim, eu sei que choro, mas eu posso querer diferente para ti. Eu não sei tanto sobre tanta coisa que às vezes tenho medo de dizer aquelas coisas que fazem chorar. E não me perguntes nada. Eu não sei dizer.

segunda-feira, 29 de março de 2010

"Mas sinto que sabes que sentes também que num dia maior serás trapézio sem rede a pairar sobre o mundo e tudo o que vejo"

Vi ontem de manhã, antes do jornal da RTP, trapezistas voadores do Circo de Moscovo. Serei eu o único a desejar que eles dêem um valente tralho? Com ou sem rede.

"They say that spirits live, a man has to die"

Não pude ver a estreia do programa Depois da Vida. Tenho pena. Muita pena. Mas, apesar de não ter visto, tenho uma dúvida: sendo a médium inglesa, vindo propositadamente de Inglaterra, como é que comunica com os mortos, sendo que muitos não deverão falar a língua de Sua Majestade?

quarta-feira, 24 de março de 2010

"Eu xou axim!"

Na segunda fui almoçar com a minha mãe ao Irlandês. Era buffet. Ela comeu pataniscas, eu caril de frango. Enquanto ela servia, eu estava na mesa e pedi uma imperial e uma água. Passado algum tempo, a empregada chegou e deu a água à minha mãe e a imperial a mim. Era ao contrário. Já não me sentia tão humilhado desde domingo, quando telefonei para um sítio e disseram "A que horas dá jeito à senhora?".

segunda-feira, 22 de março de 2010

"O Boca Doce é bom, é bom, é. Diz o avô e diz o bebéééééé."

Não comam pudim flan de soja da Cem Porcento. É a maior merda que eu já comi.

E ainda falam dos políticos! - parte II 1/2

79,92€ e não 92€. É menos um que atendo logo à noite.

domingo, 21 de março de 2010

É a cultura, estúpido! II

Para comemorar hoje, 21 de Março, o Dia Mundial da Poesia, decidi colocar aqui duas quadras, independentes uma da outra, ditas pelo grupo do meu pai quando eram jovens. Ei-las:

Fui ao mar comprar laranjas
Fruta que o mar nunca deu
Respondem-me lá do fundo
O caranguejo não tem pescoço.

Se o mar tivesse varandas
Ia ver-te ao Brasil
Como o mar não tem varandas
Talvez vá de bicicleta.

Porque não há nada melhor do que a poesia popular. Bem, até há. Prova disso são as páginas 106 e 107 d´O Meu Pipi.

(Re)Começar de novo

Acabo de ver o filme No Mundo das Mulheres (In the Land of Women). Desconhecia a sua existência sequer. Recomendo. Uma daquelas raras agradáveis surpresas a um domingo. Ou noutro dia qualquer. Porque a vida continua. Apesar de tudo, continua.

sábado, 20 de março de 2010

Promessas...

Desconhecia esta música. Aliás, confesso não conhecer a discografia de Rui Veloso, só as canções mais tocadas. Ouvi-a no programa 5 para a meia-noite, há cerca de um ou dois meses, pela voz de um dos apresentadores, Luis Filipe Borges (Boinas), quando o cantor foi o entrevistado. Ando viciado nela nos últimos dias. Chama-se "O Prometido é Devido" e é do álbum Mingos e os Samurais. A ver se conheço melhor o seu trabalho para descobrir pérolas como esta. Fiquei com essa vontade, isso é certo.



Naquele trilho secreto
Com palavras santo e senha
Eu fui língua e tu dialecto
Eu fui lume e tu foste lenha

Fomos guerras e alianças
Tratados de paz e péssangas
Fomos sardas, pele e tranças
Popeline, seda e ganga

Recordo aquele acordo
Bem claro e assumido
Eu trepava um eucalipto
E tu tiravas o vestido

(refrão)
Dessa vez tu não cumpriste
E faltaste ao prometido
E eu fiquei sentido e triste
Olha que isso não se faz

Disseste que se eu fosse audaz
Tu tiravas o vestido
O prometido é devido
(/refrão)

Rompi eu as minhas calças
Esfolei mãos e joelhos
E tu reduziste o acordo
A um montão de cacos velhos

E eu que vinha de tão longe
Do outro lado da rua
Fazia o que tu quisesses
Só para te poder ver nua

Quero já os almanaques
Do Fantasma e do Patinhas
Os Falcões e os Mandrakes
Tão cedo não terás novas minhas

Repetir refrão

Capitão Planeta

Recebi hoje, da parte da TMN, a seguinte mensagem: "Ajude-nos a limpar a floresta portuguesa num só dia (20/Mar). Inscreva-se em www.limparportugal.org. Todos juntos vamos fazer a diferença para o futuro. Até já." Sim, sim, olha para mim a limpar... Não limpo o meu quarto e vou limpar Portugal?!?! Já lá moro.

quinta-feira, 18 de março de 2010

"Todos diferentes, todos iguais" II

Somos todos iguais... Tá bem, tá! Os cabelos brancos são como os pretos: quando aparece um, aparecem logo uns cinco ou seis.

"Todos diferentes, todos iguais"

No domingo à noite, na SIC, revi Duelo de Titãs (Remember the Titans). Recomendo. Para quem gosta deste tipo de filmes, recomendo também um filme que vi há cerca de dois anos, na TVI, num sábado à tarde. Só o vi mais uma vez entretanto e dei por mim a metê-lo na minha lista de filmes preferidos. Chama-se Treinador Carter (Coach Carter). Porque somos todos iguais.

Idolomania II

Reparei que tenho recebido muitas visitas por ter usado, há algum tempo, a expressão Idolomania. Só para dizer o seguinte: se quiserem comprar bilhetes para a digressão, é favor fazerem transferência bancária para o 0007 0050 00002050001 72. Os bilhetes serão depois enviados para casa. (Ah, estou a ver que durante um mês só vou comer marisco! E do bom, que não sou nenhum pelintra!)

Crepúsculo dos Deuses

Ando preocupado com o Marco Paulo. É anúncios ao colesterol, aos ouvidos, o que se seguirá? Próstata? Corega? Tadito!

"E ao ver-te, Lisboa, Lisboa..."

Moda Lisboa em Lisboa?!?! É a coisa maiz ztúpida que ouvi na minha vida!

"Today you may feel a little sleepy"

No domingo tinha um desafio a propor ao leitor. Só hoje, por estar melhor, é que posso estar a actualizar o blogue. O desafio consistia em verem o programa Prós e Contras e não adormecerem quando o Eduardo Lourenço falava. Se a prova foi superada, os meus sinceros parabéns à tripulação. Aguentarão tudo a partir daqui. A sério. (Pronto, lá vai a comunidade de Letras cair-me em cima! O que é mau, tendo em conta a sua fama! )

quarta-feira, 17 de março de 2010

"Gosto muito de você, leãozinho" II

Mauuuuuuuuuuuuuuuuuuu! O que vem a ser isto?!?! O Sporting a jogar bem e a ganhar?!?! Querem ver que ainda conquista o terceiro lugar?!?! O que é feito do Sporting que falei no dia 20 de Dezembro?!?!

"For tonight I sleep on a bed of nails" II

Na segunda de manhã aprendi que há entradas para sobremesas e como fazer creme de manga. E muito, muito mais! Aqui vai:

Júlia Azeva e Abílio Ferreira dançaram o Cha-cha-cha;
D. Irene Rocha, ribatejana, fez anos (a Sónia não lhe perguntou quantos! Fez bem, porque nunca se pergunta a idade a uma senhora, muito menos quando é do Ribatejo! São pouco danadas para a porrada, são!);
Luísa Ladeira, habitante de Póvoa de Santa Iria, ganhou 600€;
Francisco Menezes não apresentou o programa e foi substituído pelo tio Careca, visto estar com uma intoxicação alimentar;
e, por último, a oferta do livro Viva Melhor com as Plantas Medicinais em conjunto com Viva Melhor com a Medicina do Lar, por 39€, é válida só por mais duas semanas.







P.S. Creme de manga com iogurte natural:

duas mangas
três iogurtes naturais
azeite
açúcar mascavado
pimenta negra

"For tonight I sleep on a bed of nails"

Não, não me saiu o Euromilhões. E também não me apareceu a Catherine Zeta-Jones. Tenho estado de cama. E não tem sido com uma ninfomaníaca transmontana. Ah, bons velhos tempos! Tenho estado doente. E o que faz uma pessoa doente? Bebe bagaço. Não. Bagaço e vodca. Também não. Ah, já sei! Fuma umas brocas. Também não. Não seja parvo, caro leitor! Descansa e vê televisão. Tão simples quanto isto. Durante o fim-de-semana, por ter somente os quatro canais no meu quarto, gramei com o Campeonato Mundial de Atletismo. Parabéns à Naide Gomes pela medalha de prata, rebéubéu pardais ao ninho! E cheguei a esta brilhante conclusão: nunca seria capaz de namorar com uma atleta. Ora vejamos: têm mais músculo (e força?), mais resistência e menos mamas do que eu. Nunca daria.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Sono eterno

11 de Março de 1997 é um dia que nunca esquecerei. Estava no 9º ano, era tarde e estava a fazer um teste de Matemática. Assim que acabei, a professora C disse-me para ir para casa, porque os meus pais queriam falar comigo. Cheguei a casa e disseram-me que a minha tia L morrera. Lembrar-me dela é lembrar-me inevitavelmente da minha infância. Uma das melhores pessoas que conheci! Uma tremenda injustiça! É sempre! Não é fácil perdermos alguém que amamos poucos dias após termos feito quinze anos! Nunca é! Uma só pergunta: porquê? Ainda não encontrei resposta. Nunca encontrarei. Há tempos, questionava-me se não teria sido esse o dia em que tudo mudou. Agora vejo que não. Ter-me apaixonado pela M ou ter comprado o primeiro álbum foram o dia. Não sei qual surgiu primeiro, pois foram no mesmo ano, num curto espaço de tempo, como se uma coisa tivesse levado à outra, mas creio que ter-me apaixonado terá surgido primeiro. O início do fim da inocência. Esse dia de 1997 foi apenas a confirmação. Foi também a consciencialização de que os que amamos podem, a qualquer momento, morrer. A primeira de muitas que se seguiriam. "Gone Away", faixa 7 do álbum Ixnay on the Hombre, dos The Offspring, foi a minha companhia durante os dias e meses seguintes. Isso, a escrita e uma bola de futebol. Quando alguém que amamos morre, uma parte de nós também morre. Uma grande parte de mim morreu nesse dia. Se fosse músico, faria, sem dúvida, uma versão acústica desta canção.



Maybe in another life
I could find you there
Pulled away before your time
I can't deal it's so unfair

And it feels
And it feels like
Heaven's so far away
And it feels
Yeah it feels like
The world has grown cold
Now that you've gone away

Leaving flowers on your grave
Show that I still care
But black roses and Hail Mary's
Can't bring back what's taken from me

I reach to the sky
And call out your name
And if I could trade
I would

And it feels
And it feels like
Heaven's so far away
And it stings
Yeah it stings now
The world is so cold
Now that you've gone away
Gone away, gone away, yeah yeah yeah yeah yeah

Oooooo, yeah oooooo, oooooo, Ohh yeah.

I'll Save Your Soul
Whoa. Yeaaaaaeeeaaeah. Mm.

I reach to the sky
And call out your name
Oh please let me trade
I would

And it feels
And it feels like
Heaven's so far away
And it feels
Yeah it feels like
The world has grown cold
Now that you've gone away
Gone away, gone away, yeah yeah yeah yeah yeah

Oooooo, yeah oooooo, oooooo, Ohh yeah.
Oooooo, yeah oooooo, oooooo, Ohh yeah.

Promoção do dia!

Hoje, 11 de Março, é Dia Mundial do Rim. "Pague 1, leve 2" é a promoção que encontramos em várias padarias. E nos chineses. Aproveitem!

terça-feira, 9 de março de 2010

Feliz Acaso

O Benfica jogou no domingo contra o Paços de Ferreira. 30 minutos à Benfica! Ganhou 3-1 e continua na liderança. Mas, para mim, o grande momento foi quando as câmaras da RTP filmaram Javi García e, ao lado, a namorada no camarote presidencial. É pouco boa, é! E hoje, quando ia para o Estádio Nacional, quem é que vi?! Odete Santos. Na, foi mesmo o Javi García e a namorada num Smart. Euromilhões! Euromilhões! Euromilhões! E Catherine Zeta-Jones! Catherine Zeta-Jones! Catherine Zeta-Jones! Se não disser nada na próxima semana ou nos tempos mais próximos, já sabem...

"Smelly cat, smelly cat..."

Gosto muito do último anúncio dos Gato Fedorento. Não falam.

"Mister Gay, já não sou uma criança!"

"Em 2000 decidi tirar um tempo para pensar." e "Poderia ficar à chuva a tarde inteira ao som desta música.". Que grande rotice! O VH é pouco pasnaca, é! Vejam lá se ele vos disse que podem ver as mamas da Jewel - na verdade, é só uma, a esquerda - no filme Cavalgar com o Diabo (Ride with the Devil)!?!? Ah pois, não disse! Quem é amigo, quem é?!

segunda-feira, 8 de março de 2010

Palavras...

Há dias que nos correm bem. O trabalho, o tempo, as relações, tudo. Hoje não foi um desses dias. Em 2000 decidi tirar um ano para pensar. Aproveitei e tive aulas de piano e de inglês, mas houve nesse ano três descobertas mais importantes: três músicas. Duas foram dadas a conhecer por uma amiga de então, RN, e soube muito bem hoje, no meio da tremenda chuva, sem chapéu, ouvir uma delas vezes sem conta. Poderia ficar à chuva a tarde inteira ao som desta música. Chama-se "Foolish Games", da Jewel, e existem duas versões: uma, de 5:39, encontra-se no álbum Pieces of You e a outra, que não sei onde arranjei, tem 3:59. Prefiro a última. Que grande canção!



You took your coat off and stood in the rain,
You're always crazy like that.
And I watched from my window,
Always felt I was outside looking in on you.
You're always the mysterious one with
Dark eyes and careless hair,
You were fashionably sensitive
But too cool to care.
You stood in my doorway, with nothing to say
Besides some comment on the weather.

[Pre-Chorus 1]
Well in case you failed to notice,
In case you failed to see,
This is my heart bleeding before you,
This is me down on my knees.

[Chorus]
These foolish games are tearing me apart,
And your thoughtless words are breaking my heart.
You're breaking my heart.
You're always brilliant in the morning,
Smoking your cigarettes and talking over coffee.
Your philosophies on art, Baroque moved you.
You loved Mozart and you'd speak of your loved ones
As I clumsily strummed my guitar.

[Pre-Chorus 2]
Well, excuse me, guess I've mistaken you for somebody else,
Somebody who gave a damn,
Somebody more like myself.

[Chorus]
You took your coat off,
Stood in the rain,
You're always crazy like that.

E ainda falam dos políticos! - parte II

Obrigado, Serviço Nacional de Saúde, por ter consulta só daqui a três meses e ter de arrotar 92€ no privado. Lá vou eu ter de atacar esta noite.

"Quem vê caras não vê..."

Nunca percebi o fascínio pelas redes socias. Há algo melhor do que os bailes do Mercado da Ribeira?! Não me parece! Fez anteontem dois meses que aderi ao Facebook e devo dizer que estou desiludido. Aliás, fiquei logo desiludido um dia após a adesão. Ainda não vi mamas, nem sei se alguma vez verei.

"Proud to be a Woman"

Hoje, no Dia Internacional da Mulher, em reunião com o meu pai, deliberámos que vamos dar folga à minha mãe. Vamos jantar fora, mas é ela a pagar.

sexta-feira, 5 de março de 2010

"São rosas, senhor! são rosas!"

Hoje não me apeteceu fazer almoço. Outra vez. Mas também não me apeteceu ir comer fora. Pedi, portanto, ao meu pai para me fazer o almoço. Fez a sua especialidade: torradas queimadas. Segundo ele, faz-se muito lá fora. Devo dizer que é um pitéu. Recomendo. Até estou a pensar em abrir um negócio familiar. Aceitam-se encomendas. Enviamos à cobrança para Portugal Continental, Ilhas e Alentejo.






P.S. Torradas enviadas com margarina por causa do colesterol e gorduras hidrogenadas. Tudo do melhor para vocês.

quinta-feira, 4 de março de 2010

"Oh, this is torture, this is pain, it feels like I'm gonna go insane!"

Estou a ver a semi-final do Festival da Canção 2010. Momento de auto-mutilação, portanto. Cada canção que se segue consegue ser mais pirosa do que a anterior. Quem diria?!?! Por que vejo? Espero encontrar alguma portuguesa que seja como a participante ucraniana que vi no Eurofestival da Canção em 2008, tal como falei aqui. Se vir, gasto o meu modesto saldo de 2.14€ para votar nela. Não vou roubar carteiras, não, para meter uma extensão da Zon neste quarto, que assim não duro muito tempo... Não duro, não!





P.S. Filho meu até pode vir a ser maricas ou funcionário da EMEL, mas só espero que nunca faça parte de uma J (vontade que já manifestei aqui) nem que vá a um concurso deste género (bem, daí a ser maricas não há grandes diferenças, ainda assim...).

P.P.S. Vi uma bacana muito, muito louca. Loira, de cabelos compridos, camisa justa vermelha e calças de cabedal. Vasco, é um homem! - diz a minha mãe. Achas, ó velha? Um homem não se veste assim! E não pinta as unhas de preto! Vejo agora a cena das votações e parece que é mesmo um homem. David Navarro parece ser o nome dele. Já sei para onde vai o meu voto. Sempre tive uma pancada por loiras, ainda que nunca tenha namorado com uma.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Será?

Será que é este ano que vou ter Paula Moura Pinheiro como prenda de anos?