Página inicial | Favoritos | Contacto | Twitter (não ligo lá muito a isto!)| Facebook (não ligo pevas a isto!)| Myspace (surpresa, surpresa! Também não ligo pevas a isto!)

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Ida às comprinhas

Acabo de vir das compras. E qual o melhor dia para tal? Num dia de manifestação, lá está! Ah, como é bom ir às compras com o meu companheiro de casa - num tom másculo, faço sempre a seguinte ressalva: "Éééééé! Quartos separados!", gesticulando o sinal de distância, como quem diz "nada de confusões" - e é mesmo bom, além de virmos carregados com oito sacos e um pacote de rolos higiénico (há que dizê-lo, para quê ocultar as merdas?!) e três dos sacos se rebentarem, duas das ruas aqui nos Olivais - logo as que usamos - estarem apinhadas de gente, o que fazia com que de x em x tempo parássemos. Tão atenciosos! Eles sabiam que hoje iríamos às compras e eis que, de muitos sítios onde poderiam escolher rumo ao Parque das Nações, onde está a decorrer uma reunião sobre o novo tratado da Europa sobre os princípios da flexisegurança, tinha que calhar Olivais - por que não Chelas ou Cabo Ruivo? E como iríamos carregados, pensaram "Tadinhos! Irão carregadinhos e assim sempre param de vez em quando para descansar."

A certa altura, dado o rebentamento de alguns sacos, ficou combinado o meu amigo levar o mais importante para casa (a Ana Mais Atrevida. Ah, "e os congelados", diz-me ele, pois é!) enquanto aguardava o seu regresso com novos sacos. Durante esse tempo, ouvi gritos de guerra como "Assim não pode ser!" e eu não poderia concordar mais. Bandidos! Logo no dia da ida às compras! Uns minutos depois, chega um alentejano (peço ao leitor para que, na próxima fala, imite um alentejano) que diz "Ah, água fresquinha! A quanto é cada garrafa de água?", ao que eu, lisboeta (agora dirijo-me ao leitor alentejano para que imite um alfacinha), respondi "Não estão à venda. Vim das compras." e perguntou-me onde havia um café, tendo eu respondido que o mais perto seria só no Parque das Nações (menti, toma, foi mesmo só para o lixar. Bê fêta!)

Só espero, portanto, que tão cedo não haja uma manifestação. Se houver, cá vos espero, com água. Só não sei ainda se com balões de água, se com uma barraquinha cheia de garrafas, à espera do enriquecimento fácil. É que a vida não está fácil e há contas para pagar, espero que percebam isso!

4 comentários:

Mexicano Portuga disse...

Ehpá! Um conselho de amigo. Aceita que é barato e vai por mim que sei o que digo:sou mais velho e com mais experiência

Não refiras muitas vezes essa coisa dos "quartos separados" porque ... enfim, sabes como é ... chamas a atenção, entendes?

Aposta mais naquela de que talvez os leitores sejam distraídos e tal ...
Pelo menos ficarão na duvida. Se fazes muita questão de afirmar um facto, a dúvida instala-se e daí a uma certeza absoluta é um passo de anão!

Mexicano Portuga disse...

Ehpá! Um conselho de amigo:

- Não refiras mtas vezes essa coisa de "quartos separados" porque ... enfim, sabes como é ... chamas a atenção, entendes?

Aposta mais naquela de que talvez os leitores sejam distraídos e tal ...
Pelo menos ficarão na duvida. Se fazes muita questão de afirmar um facto, a dúvida instala-se e daí a uma certeza absoluta é um passo de anão!

cusquinha endiabrada disse...

O acto de ir às compras tanto pode ser uma tarefa agradável e excitante, como pode ser o pior dos pesadelos.

Depende de muita coisa, uma delas é logo à partida a quantia que temos, que invariavelmente é sempre inversamente proporcional às necessidades do que se pretende comprar.

Depois, podem passar meses sem nos cruzamos com aquela pessoa que nos inibe, mas no dia das compras, qdo nós seguimos carregados que nem mulas, a dita cuja passa por nós e olha-nos com aquele ar que nos deixa lixados!
Por essas e outras é que eu, qdo a minha mãe começa a dizer:

- É preciso isto e aquilo ...

piro-me de casa, fico escondida na esquina a ver como correm as coisas e só regresso depois de ver passar os lacaios carregados de sacos.

E mais, tão depressa não deixo a casa dos velhotes ... isso é que era bom!!!

Pascoalita disse...

Hummm algo me diz que carregar saquinhos de compras e passar por percalços desses te vão ajudar a crescer e a ensinar-te a valorizar o trabalho das mommys :b)

A vida não é só "não fazer nenhum" eheheh

Uma beijoka