Página inicial | Favoritos | Contacto | Twitter (não ligo lá muito a isto!)| Facebook (não ligo pevas a isto!)| Myspace (surpresa, surpresa! Também não ligo pevas a isto!)

sábado, 20 de outubro de 2007

Um olhar sobre o amor

Há tempos, ia ter com uma amiga e, pelo caminho, encontrei um casal idoso sentado num banco de jardim a olhar para o infinito. Aquele momento enterneceu o meu coração porque será, de facto, bom estarmos com a pessoa que amamos quando se chega àquela idade, mas uma parte de mim dizia que espero ser mais activo, não tendo que fazer aquilo que, curiosamente, mais gosto de fazer actualmente, ou seja, nada. Quando me encontrei com ela, falámos de muitas coisas e aconteceu relatar-lhe este episódio. Ela, como todas as raparigas, tem uma visão romântica das coisas e disse-me: "Amar não é olhar um para o outro, mas sim na mesma direcção." Fiquei, durante uns dois ou três dias, a pensar nisto, intrigado com uma dúvida que me surgiu no momento e decidi, por bem, partilhá-la com o leitor: "E se um deles for estrábico?"

3 comentários:

cusquinha endiabrada disse...

ahahahahahahahahahahahah
Pois ... de facto, essa questão até a mim me intriga!

Tens de voltar a encontrar a tua amiga. Aposto que ela tem a solução para essa tua preocupação eheheheh

Pascoalita disse...

Bem, calhar no teu caso as coisas funcionarão ao contrário ... uma adolescência e juventude calmita e uma 3ª idade tão activa que nem tempo terás para olhar o infinito, quer dizer o AMOR! O mais certo é veres-te em "papos de aranha" para optares qual o "ponto" no horizonte que deves fixar ... inda corres o risco de sofrer de "visão intermitente" e aí a alternativa será apalpares ahahahahah

Mexicano Portuga disse...

Obrigada pela partilha! Fico a saber algo sobre o AMOR que desconhecia em absoluto.

Da próxima vez que a minha miúda se queixar que em vez de olhar para ela só galo as jeitosonas que passam ao largo, dir-lhe-ei que estou a praticar o meu amor por ela ahahahah